Tráfico e crime dificultam democracia na AL, diz jornalista
BR

30 setembro 2010

Vencedora do Prêmio Liberdade da Imprensa 2010, Mónica Gonzáles Mujica, diz que o dever do jornalista é “desarmar medos e informar o público das ameaças à vida das pessoas”.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A jornalista chilena, Mónica González Mujica, afirmou que o tráfico de drogas e o crime organizado estão dificultando o exercício da democracia na América Latina.

A ganhadora do Prêmio Unesco/Guilhermo Cano da Liberdade de Imprensa 2010, disse durante uma visita a Quito, capital do Equador, que os jornalistas latino-americanos precisam trabalhar juntos, em nível regional, para enfrentar o problema.

Pulso da Vida Democrática

Mónica González Mujuca acredita que o jornalismo é "o pulso da vida democrática de um país", e que justamente por isso, jornalismo e democracia estariam em risco na América Latina.

A repórter afirmou que o tráfico de drogas e o crime organizado estão dificultando o regime, e que esta ameaça não está sendo investigada como deveria.

A ganhadora do prêmio da Unesco contou que os jornalistas e a sociedade continuam tratando os dois temas como uma espécie de crime.

Mudanças

Mas segundo ela, o tráfico de drogas e o crime organizado são problemas de causas econômicas, políticas e sociais, que ameaçam a vida dos cidadãos todos os dias.

Na entrevista, Mónica González Mujica, disse que o dever do jornalista é "desarmar os medos e informar a opinião pública sobre as ameças que afetam a cada um". Ela defendeu o jornalismo investigativo dizendo que este tipo de trabalho ajudar a promover mudanças.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud