Produção de leite em pequena escala pode combater pobreza

30 setembro 2010

Relatório da FAO indica que cerca de 750 milhões de pessoas, a maioria em países pobres, dedicam-se a uma produção em pequena escala de leite; sector poderia crar 3 milhões de novos postos de trabalho por ano.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A produção de leite em pequena escala pode reduzir a pobreza, aumentar os níveis nutricionais e melhorar as condições de vida de populações rurais nos países pobres.

A afirmação consta de um novo relatório da Organização da ONU para a Agricultura e Alimentação, FAO, lançado esta quarta-feira, em Roma.

Postos de Trabalho

Segundo o director da Divisão de Produção e Saúde Animal da agência, Samuel Jutzi, a procura global de leite está a aumentar a um ritmo de 15 milhões de toneladas por ano, principalmente nos países em desenvolvimento.

Ele disse que a produção desse volume de leite por parte de pequenos produtores poderia criar 3 milhões de novos postos de trabalho todos os anos.

O alto funcionário da FAO adiantou que uma gestão sensata do sector lácteo poderia contribuir de forma significativa para o cumprimento das Metas do Milénio e a erradicação da fome e pobreza.

Nações Pobres

O novo relatório da agência das Nações Unidas indica que cerca de 150 milhões de famílias, o equivalente a 750 milhões de pessoas, dedicam-se a uma produção em pequena escala de leite. A grande maioria vive em nações pobres.

A esmagadora maioria dos 6 mil milhões de consumidores de leite e produtos lácteos no mundo também vivem nesses países, segundo a FAO.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud