Líderes internacionais abrem Cimeira das Metas do Milênio
BR

20 setembro 2010

Encontro de três dias vai analisar progressos e desafios para os objetivos; prazo da agenda para eliminar ou reduzir males sociais termina em 2015.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York.*

Mais de 140 líderes internacionais abriram nesta segunda-feira, na sede da ONU, a Cimeira das Metas do Milênio para debater a situação dos oito objetivos em várias partes do mundo.

O encontro de três dias foi iniciado pelo Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon. Segundo ele, é possível alcançar as metas que incluem combate à pobreza e à fome nos próximos cinco anos.

Tecnologias

Ele falou sobre avanços no acesso à água potável, uso de tecnologias e ainda o aumento no número de matrículas escolares.

Ban Ki-moon pediu aos líderes que reforcem seu compromisso para acabar com condições desumanas de extrema pobreza, e apesar da crise mundial não reduzir a ajuda ao desenvolvimento.

Para o Secretário-Geral, a recuperação da crise financeira não deve significar um regresso às políticas que ele classificou de erradas e injustas que causaram a recessão global.

Embaixadora da Boa Vontade

Numa entrevista à Rádio ONU, a apresentadora de TV portuguesa e embaixadora da Boa Vontade, Catarina Furtado, falou sobre o papel dos líderes internacionais no alcance das metas.

"Ele vão ter de trabalhar mais. Terão de fazer um esforço redobrado. Vão ter de fazer com que as pessoas que estão no terreno, por um lado, e as pessoas que tomam decisões políticas, por outro, façam um sprint como se diz em linguagem desportiva, porque faltam apenas cinco anos", afirmou.

Todos os países de língua portuguesa estão participando da Cimeira das Metas do Milênio. Angola será o primeiro país africano lusófono a discursar no evento, seguido de Moçambique.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud