OMS destaca importância da medicina tradicional em África

31 agosto 2010

Director regional da agência para África pede que se promova a investigação, integração e colaboração entre os praticantes da medicina tradicional e da medicina moderna, com base em abordagens científicas e na experiência; continente comemora esta terça-feira o Dia Africano da Medicina Tradicional.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A medicina tradicional foi sempre uma fonte de cuidados de saúde para os povos africanos e a comunidade científica deveria contribuir para melhorar a prática actual.

A afirmação consta de uma mensagem do director regional da Organização Mundial da Saúde, OMS, para África, Luis Gomes Sambo, pelo Dia Africano da Medicina Tradicional, que se comemora esta terça-feira.

Crucial

A data marca também o fim da Década da Medicina Tradicional Africana, adoptada pelos chefes de Estado e do Governo do continente no Burkina Faso, em 2001.

Luis Sambo afirma na sua mensagem que é crucial alertar para os avanços efectuados no sentido da integração da prática nos sistemas de saúde.

A presidente do Fórum de Medicina Tradicional e Alternativa em Moçambique, Fátima Mangore, disse à Rádio ONU, de Maputo, que a medicina tradicional já não é vista como uma prática predominantemente rural.

"Hoje já existe um pouco mais de abertura, frontalidade e aceitação. As pessoas nas cidades também recorrem à medicina tradicional mesmo tendo em conta que não existe o factor distância como nas regiões rurais" disse.

Investigação

Na sua mensagem, o director regional da OMS para África pede que se promova a investigação, integração e colaboração entre os praticantes da medicina tradicional e da medicina moderna, com base em abordagens científicas e na experiência.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud