PAM dá merendas a seis milhões de alunos em Moçambique

2 agosto 2010

Projecto pretende que as crianças pobres completem até ao sétimo ano de escolaridade e não desistam dos estudos para procurar alimentos fora da escola.

João Rosário, da Rádio ONU em Lisboa.

O Programa Alimentar Mundial, PAM, prepara-se para fornecer alimentos para seis milhões de crianças moçambicanas pobres em idade escolar.

O objectivo da iniciativa é combater o absentismo das crianças, permitindo que um número maior de alunos completem a escolaridade.

Desafio

Leia o boletim de Manuel Matola, da Rádio ONU em Maputo.

"Dados governamentais indicam que em Moçambique, cerca de 10% de alunos com necessidades abandonam anualmente as escolas para desenvolverem projectos de rendimento familiar.

Apesar dos avanços registados nos últimos anos, as autoridades moçambicanas reconhecem que a taxa média de desistência escolar ainda representa um desafio para que o país alcance os objectivos de Escolarização Primária Universal e Conclusão Primária Universal.

Ao abrigo de um acordo assinado com o Ministério da Educação de Moçambique e o governo do Brasil, a agência da ONU vai providenciar lanches escolares nos próximos dois anos aos alunos das escolas primárias moçambicanas, especialmente nas zonas rurais, onde vive a maior parte da população do país.

Objectivo

A chefe de operações do PAM em Moçambique, Elvira Prucini, destacou a importância do projecto, lembrando que as Nações Unidas desenvolvem o programa de merenda escolar há três décadas.

‘O objectivo é prover lanche escolar às crianças moçambicanas, que seja produzido e processado em Moçambique. As Nações unidas estiveram a dar apoio de lanche escolar ao governo de Moçambique durante 30 anos. Agora, conjuntamente com o Brasil e o Ministério da Educação, estamos a tentar mudar para um lanche de propriedade de Moçambique', afirmou.

A nova fase do programa de provisão de alimentos escolares está avaliada em US$ 50 mil. Actualmente, a iniciativa cobre 6% da rede escolar do país e beneficia 10% por cento dos alunos, principalmente do ensino primário.

Má nutrição crónica

Em Moçambique, 44% das crianças menores de cinco anos sofrem de má nutrição crónica, 4% padecem de má nutrição aguda e 18% apresentam um peso baixo para a sua idade, segundo estimativas do PAM."

A medida do PAM pretende que as crianças até ao sétimo ano de escolaridade não abandonem o ensino.

Cerca de 10% dos alunos com necessidades saem precocemente da escola para desenvolverem actividades de subsistência.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud