Acnur pode aceder aos deslocados no norte da RCA

29 julho 2010

Ajuda humanitária vai começar a chegar a cerca de 200 mil deslocados internos que se encontram no norte da República Centro Africana há quase um ano sem qualquer apoio.

João Rosário, da Rádio ONU em Lisboa.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, está satisfeito com a decisão do governo da República Centro-Africana, RCA, que permite o acesso dos trabalhadores humanitários aos civis deslocados no norte do país.

São populações que estão fora dos limites da ajuda humanitária desde Dezembro do ano passado por causa da instabilidade no país.

Urgência

A porta-voz do Acnur, Fatoumata Lejeube-Kaba, disse que se trata de uma oportunidade de chegar a pessoas que não tem qualquer tipo de assitência há cerca de um ano.

As organizações humanitárias foram proibidas de actuar na região norte, onde se encontram cerca de 200 mil deslocados por causa dos conflitos esporádicos entre as forças governamentais da República Centro-Africana e os rebeldes.

Fatoumata Lejeube-Kaba acrescentou que muitos deslocados estão a precisar de abrigos, não só porque as suas casas foram destruídas, mas também por causa da estação das chuvas.

Dificuldades

Mas há também situações de insegurança como os saques, as violações, os raptos, tortura e até casos de assassinato foram relatados pelos aldeões da região.

O representante do Secretário-Geral da ONU para os direitos humanos dos deslocados internos, Walter Kalin, declarou este mês que os esforços para se alcançar uma paz sustentável na República Centro-Africana serão insuficientes enquanto houver comunidades inteiras deslocadas e em situação de desespero.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud