Unesco condena assassinatos de jornalistas mexicanos (Português Brasil)

22 julho 2010

Marco Aurelio Martínez Tijerina tinha 45 anos e foi encontrado morto em 10 julho, um dia após ser sequestrado por homens armados em Montemorelos, cidade no nordeste do México; Guillermo Alcaraz Trejo era cinegrafista na cidade de Chihuahua, no norte do país.

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York.

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, Irina Bokova, condenou nesta quinta-feira os assassinatos de dois jornalistas mexicanos.

Marco Aurelio Martínez Tijerina tinha 45 anos e foi encontrado morto em 10 julho, um dia após ser sequestrado por homens armados em Montemorelos, cidade ao nordeste do México.

Informativo

Tijerina era apresentador de um programa de rádio chamado Informativo, havia sido diretor de uma rádio local e correspondente de vários outros grupos, incluindo a TV Azteca.

Guillermo Alcaraz Trejo era cinegrafista na cidade de Chihuahua, no norte do país, e também foi encontrado morto em 10 de julho. Ele trabalhava para vários grupos de comunicação.

Segundo a Unesco, homens mascarados atiraram quando ele saía do escritório de uma revista chamada Omnia. Trejo trabalhava ainda para a divisão de vídeo da Comissão do Estado de Chihuahua para Direitos Humanos.

Justiça

Irina Bokova pediu às autoridades mexicanas para que os responsáveis sejam levados à justiça. Em nota, ela ressaltou o perigo que os profissionais de mídia enfrentam todos os dias para que a liberdade de expressão seja exercida.

No ano passado, a Unesco registrou 77 mortes de jornalistas em todo o mundo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud