Enviado cessante encoraja governo somali a mudar imagem do país

29 junho 2010

Numa carta enviada à diáspora da nação africana, Ould-Abdallah notou que a paz levará tempo devido ao que chamou de importantes interesses locais e internacionais, incluindo comércio ilegal, pescas e pirataria; ele terminará as suas funções no final deste mês.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O enviado cessante da ONU à Somália, Ahmedou Ould-Abdallah, pediu aos líderes do país para continuarem a priorizar as questões centrais da nação do Corno de África, numa altura em que ela tenta ultrapassar anos de conflitos e construir a paz.

Numa carta enviada à diáspora somali, ele agradeceu o Governo Federal de Transição, encorajando-o a construir sobre os progressos alcançados até agora.

Progressos Irreversíveis

Ould-Abdallah notou que a paz levará tempo devido ao que chamou de importantes interesses locais e internacionais, incluindo comércio ilegal, pescas e pirataria.

O enviado cessante disse, contudo, que um governo determinado, aceite e tolerado pelos somalis e apoiado pela comunidade internacional, pode fazer progressos irreversíveis em direcção à estabilidade.

Ele afirmou que muitos países querem genuinamente ajudar a nação africana. Salientou, porém, que a imagem e reputação da Somália no continente e no Médio Oriente foram afectadas por anos de má governação das sucessivas lideranças em Mogadishio.

Percepção Negativa

O diplomata mauritano pediu um esforço sustentado para mudar o que descreveu de percepção negativa do país. Ould-Abdallah destacou os progressos feitos nos últimos anos, incluindo um governo que funciona há um ano e meio.

O enviado cessante será substítuido nas suas funções pelo diplomata tanzaniano Augustine Mahiga, actual embaixador do seu país junto à ONU, em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud