Ban diz que era de impunidade terminou

31 maio 2010

Secretário-Geral falava no segundo dia da sua visita ao Uganda, onde participa numa conferência de revisão do TPI; ele disse que encontro quer enviar uma mensagem clara de que atrocidades e crimes terríveis são agora punidos.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu esta segunda-feira a todos os estados para cooperarem com o Tribunal Penal Internacional, TPI, e encorajou os países que ainda não ratificaram o Estatuto de Roma, para o fazerem.

Falando em Kampala, capital do Uganda, numa conferência de revisão do TPI, Ban disse que a era de impunidade acabou e que o mundo assiste agora à emergência de um período de responsabilidade.

Atrocidades

Ele afirmou que o estabelecimento do Tribunal Penal Internacional representou um triunfo para a paz, justiça e direitos humanos.

O Secretário-Geral salientou que a conferência de Kampala quer enviar uma mensagem clara de que atrocidades e crimes terríveis são agora punidos.

Ban afirmou ainda que o encontro quer reforçar o efeito dissuador do tribunal, obrigando os perpetradores a pensarem duas vezes antes de agirem.

Sobreviventes

No primeiro dia da sua visita ao Uganda, no domingo, Ban Ki-moon participou num jogo de futebol que celebrou a dignidade dos sobreviventes de crimes de guerra e outras atrocidades.

A sua equipa, chamada "Justiça" perdeu por uma bola a zero com formação da "Dignidade" liderada pelo presidente do país, Yoweri Museveni.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud