Unicef pede fim de ocupação de escolas no Iémen

14 maio 2010

Agência diz que uso de escolas para fins militares ou políticos inapropriados é uma violação da lei humanitária internacional; Iémen tem uma das taxas de matrícula mais baixas na região do Médio Oriente e norte de África.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Fundo da ONU para a Infância, Unicef, está profundamente preocupado com notícias de que escolas na província de Saada, norte do Iémen, foram ocupadas por homens armados e que crianças estão a ser privadas do direito à educação.

Uma nota da agência das Nações Unidas afirma que as escolas deveriam ser zonas de paz onde os alunos podem aprender e desenvolver. A sua utilização para fins militares ou políticos inapropriados constitui, segundo o Unicef, uma violação da lei humanitária internacional. O órgão pediu a abertura imediata das escolas afectadas.

Cessar-Fogo

O Iémen tem uma das taxas de matrícula mais baixas na região do Médio Oriente e norte de África. Mais de um ¼ de crianças em idade escolar, particularmente raparigas, não frequentam o ensino.

A agência salienta que o conflito no norte exacerbou a situação, forçando milhares de menores a fugirem de suas casas e destruindo centenas de edifícios escolares.

O cessar-fogo assinado em Fevereiro aumentou a esperança, permitindo o regresso dos alunos à educação e à normalidade.

O Unicef apelou a todas as partes para garantirem o direito de todas as crianças a uma educação de qualidade. A agência indica que privar as crianças desse direito é prejudicial para o seu bem estar e para o futuro do país.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud