Ban pede apoio global para tornar a maternidade segura
BR

7 maio 2010

Segundo Secretário-Geral, nenhuma mulher teria de pagar com a própria vida para dar à luz; o dia das mães é celebrado neste domingo nos Estados Unidos e no Brasil.

Renata Pedini, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, lembrou nesta sexta-feira que milhares de mulheres, a maioria delas nos países em desenvolvimento, morrem no momento do parto todos os anos. Mas afirmou que isto não tem que ser assim.

Em artigo publicado pela imprensa, ele fez um apelo por apoio aos esforços da ONU para tornar a maternidade segura em todo o mundo.

Estatísticas

De acordo com Ban, nos países em desenvolvimento a morte é um fato. Em cada oito mulheres, uma vai morrer durante o trabalho de parto.

As complicações durante a gravidez e nascimento são a principal causa da morte de mulheres de 15 a 19 anos. Dados recentes mostram que houve progressos, porém ainda há um longo caminho pela frente.

O Secretário-Geral das Nações Unidas lembrou que a organização lançou em abril um plano de ação conjunta envolvendo governos, setor privado e sociedade civil para avançar na causa, que ele considera vital.

Ban Ki-moon pediu esforços coordenados para por fim ao que chamou de escândalo silencioso.

Transfusões

Ban lembrou que nasceu em casa, numa pequena vila na Coreia. Na época, as mulheres temiam perder a vida ao dar à luz.

Hoje, exames de sangue simples e consultas podem fazer grande diferença, disse ele. O risco de morte poderia ser quase eliminado, com antibióticos, transfusões e salas de parto seguras.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud