Nuvens de vulcão são séria ameça para segurança dos voos, diz Icao
BR

16 abril 2010

Segundo Organização Internacional de Aviação Civil, nenhum incidente foi relatado desde que o vulcão na Islândia entrou em atividade, no dia 14 de abril; agência da ONU, lembra, porém, que as cinzas do vulcão contém material que podem danificar os aviões.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Observatório Internacional de Vulcões, um sistema estabelecido pela Organização Internacional de Aviação Civil, Icao, trabalha para garantir a segurança do transporte aéreo após a erupção de um vulcão na Islândia.

O vulcão entrou em atividade no dia 14 de abril e desde então, nenhum incidente foi reportado por conta das nuvens geradas pela erupção. Mas o tráfego aéreo de vários países europeus, como Grã-Bretanha e Escandinávia foi afetado.

Material Abrasivo

Segundo a Icao, as cinzas do vulcão são compostas por material abrasivo, que podem danificar as estruturas e superfícies dos aviões. As cinzas podem entupir os sistemas das aeronaves, embaçar janelas e painéis de visualização e por isso, são uma séria ameaça à segurança dos voos.

A Icao também alerta para os efeitos que as cinzas causam nas pistas dos aeroportos e durante a decolagem ou aterrisagem dos aviões. Segundo agências de notícias, milhares de voos estão cancelados na Europa desde a erupção do vulcão na Islândia.

Preocupação

O Observatório Internacional de Vulcões foi criado para detectar a movimentação de cinzas na atmosfera e alertar os serviços aéreos. Nove centros de observação estão distribuídos estrategicamente pelo mundo, como em Londres, Buenos Aires, Montreal e Tóquio.

A Icao reforça que monitora de perto a situação do vulcão na Islândia, considerada pelo órgão como uma importante preocupação quanto à segurança dos voos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud