Reunião da ONU debate combate a desastres em África (Português África)

14 abril 2010

Delegados de 42 países africanos vão debater formas de reforçar a segurança dos seus cidadãos e comunidades, um tema vital para o futuro do continente; segundo dados da ONU, nos últimos 30 anos cerca de 1,8 mil desastres mataram 700 mil africanos e afectaram 300 milhões de outros.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Uma conferência patrocinada pelas Nações Unidas sobre a redução do risco de desastres em África teve início esta quarta-feira em Nairobi, no Quénia.

Delegados de 42 países africanos vão debater formas de reforçar a segurança dos seus cidadãos e comunidades, um tema vital para o futuro do continente.

Reforço de Capacidades

Segundo dados da ONU, nos últimos 30 anos cerca de 1,8 mil desastres mataram 700 mil africanos e afectaram 300 milhões de outros.

O 2º encontro ministerial de África sobre Redução do Risco de Desastres reúne mais de 170 delegados representando governos, comunidades económicas regionais, doadores, agências da ONU, mundo académico e ONGs.

A representante especial do Secretário-Geral sobre o tema, Margareta Wahlstrom, disse que um relatório global de avaliação publicado em 2009 indica que a ameaça de desastres cresce a um ritmo mais acelerado do que o reforço de capacidades para combater o problema.

Participantes à reunião de Nairobi vão discutir e adoptar uma versão actualizada do Programa de Acção para a Implementação da Estratégia Regional Africana para a Redução do Risco de Desastres, e definir áreas prioritárias de intervenção.

Alterações Climáticas

Wahlstrom notou que mecanismos regionais são os melhores instrumentos para enfrentar novos desafios e evitar desastres no continente, que deverá ser mais afectado no futuro pelo impacto de alterações climáticas.

A conferência de Nairobi, que termina na sexta-feira, é organizada pela Comissão da União Africana, pelo governo do Quénia e pela Estratégia Internacional da ONU para Redução de Desastres, em colaboração com o Banco Mundial.