Niger enfrenta grave crise alimentar

30 março 2010

Coordenadora humanitária da ONU no país disse que a situação foi provocada por uma má estação das chuvas o ano passado que conduziu a uma escassez de alimentos; Niger necessita de US$ 150 milhões para ultrapassar a actual vulnerabilidade alimentar.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Niger enfrenta uma grave crise alimentar, com cerca de metade da população, 7,8 milhões de pessoas, numa situação muito vulnerável.

A afirmação foi feita esta terça-feira em Nova Iorque pela nova coordenadora humanitária da ONU naquele país da África Ocidental.

Prioridades

Falando numa conferência de imprensa, Khardiata Lao N'Diaye disse que a organização tem duas prioridades neste momento: garantir a segurança alimentar da população e aliviar a malnutrição das pessoas mais afectadas, particularmente crianças e grávidas.

Ela explicou que a situação foi provocada por uma má estação das chuvas o ano passado que conduziu a uma escassez de alimentos.

N'Diaye revelou que as autoridades que assumiram o poder o mês passado lançaram um apelo internacional para ajudar a população do país.

Plano de Acção

A coordenadora humanitária das Nações Unidas disse que o Niger necessita de US$ 150 milhões para ultrapassar a actual fase de vulnerabilidade alimentar.

A viagem de N'Diaye a Nova Iorque prende-se com a necessidade de trabalhar com outras agências da ONU e finalizar um plano de acção que os doadores possam apoiar.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud