ONU investiga alegado massacre de civis na RD Congo

30 março 2010

Ataque é referido como tendo ocorrido na aldeia de Mabanga, no leste do país, em Dezembro; segundo grupos de direitos humanos, pelo menos 320 pessoas foram mortas no incidente.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas continuam a investigar um recente massacre de civis alegadamente levado a cabo pelo grupo rebelde ugandês, Exército de Resistência do Senhor, LRA, numa região remota do nordeste da República Democrática do Congo.

A notícia foi confirmada esta segunda-feira pelo porta-voz da ONU, Martin Nesirky.

Investigação

O massacre é referido como tendo ocorrido na aldeia de Mabanga, em Dezembro. Segundo grupos de direitos humanos, pelo menos 320 pessoas foram mortas no ataque, em que foram usados machados, machetes e paus.

Nesirky disse a jornalistas que a organização não pode confirmar o número exacto de vítimas até a conclusão de uma investigação formal que está a ser feita pela missão de paz das Nações Unidas no país, Monuc.

Ele salientou que o extremo isolamento da localidade e o facto das testemunhas terem fugido estavam a atrasar o inquérito.

Operações

O porta-voz da ONU afirmou que a Monuc tenta proteger todos os civis na região, mas dada a vasta extensão da área, os capacetes azuis são apenas capazes de concentrar os seus esforços nas zonas mais populosas.

Nesirky sublinhou, contudo, que a missão continua a apoiar as operações do exército governamental contra o LRA, um grupo formado no Uganda nos anos 80 e cujos líderes foram indiciados pelo Tribunal Penal Internacional, TPI, por crimes de guerra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud