AIEA quer fim de obstáculos ao transporte de material radioativo
BR

1 março 2010

Meta da agência da ONU é eliminar barreira até 2013; muitas companhias se recusam a transportar o Cobalto – 60, essencial para o tratamento do câncer.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, quer eliminar até 2013 qualquer tipo de barreira ao transporte de material radioativo benéfico à ciência. Segundo especialistas do órgão, vários procedimentos médicos essenciais para salvar vidas dependem deste tipo de material.

Desde 2007, a agência da ONU registrou que por 87 vezes, companhias se negaram a transportar o Cobalto - 60, utilizado no tratamento do câncer e também para esterelizar equipamentos médicos. Mas muitas recusas ao transporte, seja por navios ou aviões, sequer são reportadas.

Apelo

O chefe do Departamento de Segurança Nuclear da Aiea, Tomihiro Taniguchi, fez um apelo aos Estados e às indústrias, pedindo todo o apoio à ambição da agência em curar o câncer nos países em desenvolvimento.

Ele ressalta que é preciso discutir como acabar com a barreira, já que o problema cresce em algumas regiões. Taniguchi lembra que os regulamentos da Aiea garantem que o transporte de material radioativo seja feito de maneira segura.

Muitas das maiores companhias de navios e áereas se recusam a levar o Cobalto - 60 e outros produtos radioativos. A Aiea organizou na última semana uma reunião em Viena, na Áustria, para debater o tema.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud