Ban decepcionado com recusa de liberação de San Suu Kyi em Mianmar
BR

26 fevereiro 2010

Secretário-Geral reiterou o pedido para a liberdade de todos os prisioneiros políticos do país; Prêmio Nobel da Paz foi condenada em agosto do ano passado a 18 meses adicionais de prisão domiciliar.

[caption id="attachment_171978" align="alignleft" width="175" caption="Ban Ki-moon"]

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, expressou desapontamento sobre a nova rejeição ao apelo contra a prisão domiciliar da líder da oposição de Mianmar, Aung San Suu Kyi.

Em comunicado emitido por seu porta-voz, Ban reiterou o pedido para a liberdade de todos os prisioneiros políticos do país.

Processo Político

O Secretário-Geral também pediu a livre participação deles no processo político e disse que isto é essencial para a reconciliação e transição democrática em Mianmar.

Aung San Suu Kyi, vencedora do Prêmio Nobel da Paz, foi condenada em agosto do ano passado a 18 meses adicionais de prisão domiciliar. Segundo agências de notícias, ela teria violado leis de segurança nacional após receber visita não autorizada de cidadão americano.

Chefe do Partido Liga Nacional pela Democracia, Aung San Suu Kyi foi colocada em prisão domiciliar em 1989, um ano após uma revolta popular em Mianmar ter sido reprimida pelos militares.

Libertado

Em 1990, o partido dela venceu as eleições, mas foi impedido de assumir o governo. Desde então, Suu Kyi é mantida em alguma forma de detenção.

No começo de fevereiro o vice-presidente do partido, U Tin Oo, foi libertado após seis anos de prisão domiciliar, movimento elogiado por Ban Ki-moon.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud