Apelo de líder líbio contra a Suíça é inaceitável, diz ONU
BR

26 fevereiro 2010

Sergei Ordzhonikidze disse que o apelo do líder Muammar Gaddafi para uma guerra santa ou jihad contra a Suíça é inadmissível; em referendo realizado em novembro, 57% de eleitores suíços aprovaram uma emenda constitucional que proíbe a construção de minaretes.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York.*

O diretor-geral do escritório das Nações Unidas em Genebra, Sergei Ordzhonikidze, disse nesta sexta-feira que o apelo do líder líbio Muammar Gaddafi para uma guerra santa ou jihad contra a Suíça é inadmissível.

Em coletiva de imprensa, ele afirmou que tais declarações por parte de um chefe de Estado são inaceitáveis em relações internacionais.

Emenda

Ordzhonikidze ressaltou que a ONU tem capacidade e conhecimento para evitar qualquer tentativa de violação da segurança das suas instalações.

Segundo agências de notícias, Gaddafi criticou um recente voto na Suíça contra a construção de minaretes e fez um apelo aos islâmicos para boicotarem o país.

Em referendo realizado em novembro, 57% de eleitores suíços aprovaram uma emenda constitucional que proíbe a construção de minaretes. Um apelo contra a medida foi submetido à Corte Européia de Direitos Humanos.

As mesmas fontes indicam que as duas nações estão envolvidas numa longa disputa diplomática que começou em 2008 quando um dos filhos do líder líbio foi detido em Genebra, sob a acusação de ter agredido dois empregados.

*Apresentação: Daniela Traldi, Rádio ONU, Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud