Assembleia-Geral volta a pedir inquérito a conflito em Gaza

26 fevereiro 2010

Nova resolução, patrocinada por países árabes e africanos, foi aprovada com 98 votos a favor, sete contra e 31 abstenções; relatório Goldstone acusava tanto Israel como grupos rebeldes palestinianos de terem cometido crimes de guerra durante o conflito em Gaza.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Assembleia-Geral da ONU adoptou esta sexta-feira uma nova resolução que volta a pedir a Israel e a Autoridade Palestiniana para realizarem investigações independentes aos alegados crimes de guerra cometidos durante o conflito em Gaza, de Dezembro de 2008 a Janeiro de 2009.

O texto, patrocinado por países árabes e africanos, foi aprovado com 98 votos a favor, sete contra e 31 abstenções. Cinquenta e seis nações não participaram na votação devido ao mau tempo que assolou Nova Iorque.

Crimes de Guerra

A resolução também pede que os inquéritos sejam realizados em conformidade com leis internacionais.

Em Novembro do ano passado, a Assembleia-Geral adoptara um documento similar após debate sobre o relatório de uma missão de inquérito da ONU, liderada pelo juiz sul-africano, Richard Goldstone.

O documento acusava tanto Israel como grupos rebeldes palestinianos de terem cometido crimes de guerra durante o conflito em Gaza.

Humanidade

O observador permanente da Palestina junto às Nações Unidas, Riyad Mansour, disse que a aprovação da resolução, por tão grande maioria, mostra que grande parte da humanidade quer que o relatório Goldstone seja implementado.

A embaixadora de Israel, Gabriela Shalev, afirmou, por seu lado, que o seu país nunca renunciará à sua obrigação de defender os seus cidadãos, sua existência, democracia e liberdade.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud