Conflitos étnicos matam mais de 500 no sul do Sudão

26 fevereiro 2010

Segundo o Ocha, intensificação de confrontos desde Dezembro também forçou quase 35 mil civis a deixarem suas casas; PAM indica que número de pessoas que necessitam de assistência alimentar na região vai aumentar de quase 1 milhão em 2009 para 4,3 milhões este ano.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Escritório da ONU de Assistência Humanitária, Ocha, indicou esta sexta-feira que mais de 500 pessoas foram mortas em conflitos inter-étnicos no sul do Sudão, nos últimos dois meses.

A porta-voz da agência das Nações Unidas, Elizabeth Byrs, disse a jornalistas, em Genebra, que se registou uma intensificação nos confrontos desde meados do mês de Dezembro.

Referendo

Segundo o Ocha, cerca de 40 incidentes de violência também causaram o deslocamento de quase 35 mil civis.

Os piores ataques têm ocorrido ao longo das regiões fronteiriças entre os Estados de Warrap e Unity, assim como no Estado de Jonglei.

Dados recentes divulgados pelo Programa Alimentar Mundial, PAM, indicam que o número de pessoas que necessitam de assistência alimentar no sul do Sudão aumentou de quase 1 milhão em 2009 para 4,3 milhões este ano, devido à seca e conflitos armados.

Os sudaneses irão votar num referendo em 2011 para decidir se a região sul deverá continuar a fazer parte do Sudão ou tornar-se um país independente.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud