Timor fez enormes progressos mas ainda enfrenta sérios desafios

23 fevereiro 2010

Nova enviada da ONU ao país disse ao Conselho de Segurança que autoridades devem priorizar medidas para sustentar a estabilidade, aprofundar a democracia e estado de direito e reduzir a pobreza; ela afirmou que a segurança a longo prazo depende da criação de uma força policial timorense profissional e imparcial.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Timor Leste fez enormes progressos desde a crise política de 2006, mas continua a enfrentar importantes desafios nos seus esforços de recuperação e desenvolvimento a longo prazo.

A afirmação foi feita esta terça-feira em Nova Iorque pela nova enviada da ONU ao país, Ameerah Haq, durante uma reunião do Conselho de Segurança.

Crise Política

Ela disse que Timor Leste atingiu um novo patamar que prioriza medidas para sustentar a estabilidade, aprofundar a democracia e estado de direito e reduzir a pobreza.

Dezenas de pessoas foram mortas e cerca de 155 mil forçadas a deixar suas casas em 2006, após um conflito dentro das forças armados ter-se alastrado por todo o país.

A missão Integrada da ONU em Timor Leste, Unmit, foi criada pelo Conselho de Segurança para ajudar as autoridades a ultrapassar a crise política e humanitária no território.

Força Policial

Ameerah Haq disse ao Conselho de Segurança que os dirigentes timorenses estão a trabalhar para consolidar os ganhos alcançados nos últimos quatro anos e garantir uma transição suave para a fase de desenvolvimento.

A enviada das Nações Unidas notou que a segurança e estabilidade a longo prazo dependem da criação de uma força policial timorense profissional e imparcial que respeite a lei e os direitos humanos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud