FAO alerta para falta de comida em áreas rurais do Haiti
BR

19 fevereiro 2010

Avaliação da agência mostra que em muitos casos, os moradores dessas regiões passaram a comer as sementes armazenadas para a próxima temporada de plantio; as áreas de Artibonite e Grand\'Anse são as mais afetadas.

Julia Borba, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, alertou sobre a escassez de alimentos nas áreas rurais do Haiti.

Em nota divulgada nesta sexta-feira, a agência apontou as áreas de Artibonite, no oeste, e Grand'Anse, no sul, como as mais afetadas pela crise alimentar.

Sobrevivência

De acordo com o coordenador de Avaliação da FAO no Haiti, Dick Trenchard, o problema tocou todos os cantos do país. Para ele, há sinais claros de que a população está preocupada com a situação dos quase 500 mil deslocados.

Estudos da FAO indicam que as famílias que acolheram as vítimas do terremoto, em áreas rurais, estão gastando todas as economias para alimentar os recém chegados.

Em muitos casos, ressalta a agência, os moradores passaram a comer as sementes armazenadas para plantação e estão vendendo o gado que possuem.

A organização internacional humanitária Care, que trabalha junto a FAO no Haiti, relembrou que faltam apenas duas semanas para a temporada de plantio no país.

Colheita

O especialista em segurança alimentar da organização, Jean-Dominique Bodard, disse que a falta de dinheiro das famílias para comprar sementes deve afetar a colheita e pode se tornar um cíclo vicioso.

Ele também alerta para o crescente aumento no preço de comida. Alguns produtos básicos sofreram um aumento de 10% em relação ao período que antecedeu o terremoto.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud