OMS: Falta de saneamento pode piorar saúde pública no Haiti (Português Brasil)

10 fevereiro 2010

Agência da ONU diz que pelo menos 18 mil vasos sanitários são necessários em Porto Príncipe, já que menos de 5% do total foi atingido; cálculo é de um vaso sanitário para cada 50 pessoas.

[caption id="attachment_176138" align="alignleft" width="175" caption="Saneamento é urgente"]

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York.

A falta de saneamento é uma questão urgente no Haiti e pode provocar problemas de saúde para cerca de um milhão de pessoas que estão vivendo em assentamentos temporários.

A afirmação é do porta-voz da Organização Mundial da Saúde, OMS, Paul Garwood, que prevê situação alarmante durante a temporada de chuvas no país.

Doenças

Garwood afirmou que pelo menos 18 mil vasos sanitários são necessários em Porto Príncipe, já que menos de 5% do total foi atingido. O cálculo é de um vaso sanitário para cada 50 pessoas.

Apesar da alta população nos assentamentos, o porta-voz da OMS disse que não houve aumento significativo de doenças até agora.

Ele ressaltou que as infecções respiratórias agudas são as doenças mais relatadas, responsáveis por 1/4 das consultas. A diarreia representa 12% dos casos e os traumas, 10%.

Medicamentos

Paul Garwood afirmou que os centros de saúde precisam de suprimentos e que agências da ONU e países doadores continuam fornecendo medicamentos todos os dias.

O porta-voz disse que chegaram ao país recentemente mais de mil camas, 200 macas, cadeiras de rodas, lençóis, cobertores e travesseiros.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud