Queda no registro de patentes é maior em países industrializados
BR

8 fevereiro 2010

Números provisórios da Ompi revelam que Estados Unidos permaneceram em 2009 o país com maior número de patentes no mundo, apesar da queda significativa nos registros no ano passado.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York.*

 O registro de marcas internacionais no Tratado de Cooperação de Patentes da Organização Mundial de Propriedade Intelectual, Ompi, sofreu queda de cerca de 4,5% em 2009.

Uma nota da agência da ONU divulgada nesta segunda-feira em Genebra, na Suíça, indica que o maior declínio aconteceu nos países industrializados, enquanto algumas nações do leste da Ásia tiveram aumento no número de pedidos.

Inscrições

Dados provisórios da Ompi mostram que quase 156 mil patentes internacionais foram registradas em 2009, uma redução de cerca de 8 mil em relação ao ano anterior.

O diretor-geral do órgão, Francis Gurry, disse que a queda no registro de marcas internacionais não foi tão acentuada como se esperava. Ele revelou ainda que a taxa de declínio nas inscrições internacionais é mais baixa do que a registrada nos contextos nacionais.

O chefe da Ompi afirmou que isto só mostra que, independentemente das condições econômicas, é importante continuar a protegendo comercialmente as tecnologias internacionais mais valiosas.

Apesar da recessão econômica global, a inscrição de patentes continuou aumentando em vários países asiáticos, particularmente Japão, Coréia do Sul e China.

Patentes

Os Estados Unidos permaneceram em 2009 o país com maior número de patentes no mundo, apesar da queda significativa nos registros no ano passado.

A Panasonic continua a multinacional com maior número de inscrições, enquanto a Universidade da Califórnia lidera a lista de instituições acadêmicas.

*Apresentação: Daniela Traldi, da Rádio ONU, em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud