Aumento da violência provoca mortes e destruição na Somália
BR

2 fevereiro 2010

Nota do Acnur divulgada nesta terça-feira em Genebra afirma que o agravamento das condições de segurança tem impossibilitado o acesso de trabalhadores humanitários aos mais necessitados.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York*.

A violência na Somália aumentou de forma significativa no mês de janeiro, matando centenas de civis e causando destruição generalizada.

Segundo fontes locais citadas pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, confrontos intensos entre forças governamentais e milícias islâmicas para o controle das regiões centrais do país mataram, pelo menos, 258 civis e feriram mais de 250.

Agravamento

A agência da ONU indica que janeiro foi o mês mais sangrento desde agosto do ano passado. O órgão estima que mais de 80 mil somalis foram deslocados desde o início do ano.

Uma nota do Acnur divulgada nesta terça-feira em Genebra afirma que o agravamento das condições de segurança tem impossibilitado o acesso de trabalhadores humanitários aos mais necessitados.

A agência pretende distribuir bens de emergência e tendas a mais de 18 mil pessoas em 27 locais onde os deslocados procuraram refúgio temporário, nas áreas de Dhusamareebb e Belet-Weyn, no centro, logo que a situação de segurança melhorar.

Refugiados

De acordo com dados da ONU, mais de 1,4 milhão de pessoas estão deslocadas na Somália e cerca de 560 mil vivem como refugiados em países vizinhos.

Em 2009, mais de 120 mil civis procuraram refúgio no Quênia, Iêmen e Etiópia.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud