Famílias têm papel importante na luta contra o HIV-Sida

29 janeiro 2010

Onusida afirma que a educação preventiva feita por parentes pode impedir a contaminação pelo HIV; o custo do tratamento ainda é uma preocupação em países pobres.

Julia Borba, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O director-geral do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Sida, Onusida, Michel Sidibé, afirmou durante discurso em Doha, Catar, que as famílias podem ajudar a previnir a contaminação pelo vírus.

Ele realçou que apesar da doença poder devastar relações, a família é a primeira linha de defesa contra estigmas e o isolamento, além de colaborar com a educação preventiva. Sidibé disse também que o apoio de familiares ao portador do vírus melhora a adesão ao tratamento.

Preocupações

O Onusida divulgou que as famílias chegam a financiar cerca de 90% dos medicamentos para crianças infectadas, mesmo quando vivem em situação de extrema pobreza.

A Organização Internacional do Trabalho, OIT, estima que um pacote de cuidados a saúde, com possibilidade de pequena pensão aos portadores, custaria aos países africanos em torno de 4,5% do seu produto interno bruto.

Michel Sidibé apontou também como preocupação fundamental do Onusida a liberdade de circulação dos portadores do vírus.

Ele citou os exemplos das restrições impostas na regiões do Médio Oriente e norte de África, classificando-as de medidas discriminatórias, sem nenhum benefício a saúde pública.

*Apresentação: Carlos Araújo, Rádio ONU, Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud