Saneamento é fundamental para dignidade humana (Português África)

26 janeiro 2010

Ban Ki-moon disse que cerca de 2,5 mil milhões de pessoas no mundo não têm acesso a serviços de saneamento; as Nações Unidas organizam este ano, em Setembro, uma cimeira especial de líderes mundiais sobre as oito metas do milénio.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que o sanemaneto é fundamental para a dignidade humana e crucial para a realização de outros objectivos de desenvolvimento nas áreas da saúde e protecção do meio ambiente.

Numa mensagem vídeo enviada esta terça-feira a uma conferência de seguimento do Ano Internacional do Saneamento, a decorrer em Tóquio, no Japão, Ban afirmou que as Nações Unidas têm vindo a alertar para as consequências nefastas da crise de saneamento.

Consciência

O Secretário-Geral revelou que cerca de 2,5 mil milhões de pessoas no mundo vivem ainda sem acesso adequado a saneamento.

Ele realçou que a meta do milénio para essa área procura aumentar a proporção de pessoas no planeta com acesso a saneamento de 54% a 77%. Ban Ki-moon disse, contudo, que os últimos dados indicam que apenas 62% de pessoas no mundo beneficiam actualmente de infraestruturas de saneamento.

O Secretário-Geral disse que o Ano Internacional do Saneamento, comemorado em 2008, ajudou a aumentar a consciência sobre a importância do tema.

Conhecimentos Técnicos

Ban Ki-moon afirmou que o mundo tem os conhecimentos técnicos e recursos para alcançar a meta de desenvolvimento do milénio para a área de saneamento.

As Nações Unidas organizam este ano, em Setembro, uma cimeira especial de líderes mundiais sobre as oito metas do milénio. A reunião de seguimento de Tóquio termina na quarta-feira.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud