Prioridade continua para busca e resgate de sobreviventes, diz Ban
BR

14 janeiro 2010

Equipamentos que detectam sinais sonoros permitiram localizar entre os escombros do Hotel Christopher, onde operava a Minustah, o funcionário da Missão Tarmo Joveer, de 38 anos, da Estônia.

Ana Ventura Miranda, da Rádio ONU em Nova York*.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, disse nesta quinta-feira que vai demorar alguns dias até que se tenham os números exatos de vítimas causadas pelo terremoto no Haiti.

Em entrevista a jornalistas na sede da organização em Nova York, ele afirmou que policiais e militares da Missão das Nações Unidas no Haiti, Minustah, continuam a trabalhar nas operações de busca, com cães e aparelhos que permitem detectar sinais sonoros.

Trabalho conjunto

Ban acrescentou ainda que os equipamentos permitiram localizar entre os escombros do Hotel Christopher, onde operava a Minustah, o funcionário da Missão Tarmo Joveer, de 38 anos, da Estônia.

Ban Ki-moon disse ainda que o Secretário-Geral Assistente para Operações de Manutenção de Paz, Edmond Mulet, deverá chegar ainda nesta quinta-feira ao Haiti.

Mulet irá coordenar as operações da Minustah e trabalhar conjuntamente com o presidente haitiano René Préval.

O porta-voz de Ban Ki-moon, Martin Nesirky, disse que neste momento estão confirmadas 22 mortes entre policiais e militares da missão da ONU.

Prioridade

Ele fez um apelo para mais ajuda internacional e reiterou que a prioridade continua a ser a busca e resgate de sobreviventes.

O Secretário-Geral disse que ainda não conseguiu entrar em contato com o presidente do Haiti, mas que as comunicações estão melhorando lentamente.

Ele reafirmou que o chefe da Minustah, Hédi Annabi, continua desaparecido.

*Apresentação: Daniela Traldi, da Rádio ONU, Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud