Confronto entre milícias provoca maior deslocamento na Somália
BR

12 janeiro 2010

Acnur informa que mais de 150 pessoas teriam sido mortas devido aos confrontos entre duas milícias rivais, Al-Shabaab e Ahlu Sunna Wal Jaama, em 2 de janeiro; cerca de 3 mil pessoas teriam sido registradas como refugiadas na Etiópia e pouco mais de 4 mil no Quênia só em dezembro.

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, alertou nesta terça-feira para o aumento de conflitos em muitas partes da região central da Somália.

O porta-voz do Acnur, Andrej Mahecic, disse que a escalada da violência está provocando um efeito devastador sobre a população do país, com maior número de deslocamentos.

Deslocados

O Acnur informa que mais de 150 pessoas teriam sido mortas devido aos confrontos entre duas milícias rivais, Al-Shabaab e Ahlu Sunna Wal Jaama, em Dhusamareb, na região central de Galgaduud, em 2 de janeiro.

O conflito também teria deixado dezenas de feridos e provocado o deslocamento de 7 mil pessoas. Relatórios parciais indicam que o número de deslocados pode ser maior.

Segundo o Acnur, organizações não-governamentais que trabalham em parceria com o órgão da ONU afirmaram que essas pessoas deixaram 16 vilarejos de Dhusamareb e estariam vivendo em árvores. Crianças teriam ficado doentes devido à exposição ao frio.

Vulneráveis

O Alto Comissariado disse que o aumento dos conflitos também ocorre na capital Mogadíscio e que os civis estão extremamente vulneráveis, com serviços e meios de subsistência afetados e limitados.

O órgão alerta ainda para o maior número de somális em países vizinhos. Cerca de 3 mil pessoas teriam sido registradas como refugiadas na Etiópia e pouco mais de 4 mil no Quênia só em dezembro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud