ONU envia ajuda a 30 mil vítimas de inundações no Quénia

8 janeiro 2010

Ocha diz que inicialmente foram distribuídos alimentos em zonas mais deslocadas, mas há necessidade de garantir a assistência às populações afectadas; estão confirmadas 21 vítimas mortais.

[caption id="attachment_172357" align="alignleft" width="175" caption="Inundações no Quénia"]

Ana Ventura Miranda, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Escritório das Nações Unidas para Assistência Humanitária, Ocha, afirmou que estão a ser enviados kits de cuidados de saúde e outros mantimentos para 30 mil vítimas de inundações no Quénia.

O órgão da ONU disse que estradas, pontes e outras infra-estruturas, como escolas e comércio, foram danificadas pelas chuvas, e que em algumas zonas vêm no seguimento de uma seca prolongada. As regiões mais afectadas são as do norte, centro e ocidente do país.

Danos

A porta-voz da organização, Elizabeth Byrs, em Genebra, disse nesta sexta-feira que foram já confirmados 21 mortos.

Acrescentou ainda que em Turkana, na zona norte, pelo menos 20 mil pessoas foram severamente afectadas, que metade delas precisa de abrigo e que há preocupações relativamente ao aparecimento de um surto de cólera.

Segundo o Ocha, apesar do impacto total dos danos ainda não ser conhecido, há indicação de que milhares de animais foram arrastados pelas inundações e que as colheitas foram prejudicadas.

Inicialmente foram distribuídos alimentos em zonas mais deslocadas, mas há necessidade de garantir que a assistência sustentada é fornecida às populações afectadas, segundo o órgão das Nações Unidas.

Apoio

O acesso às aldeias afectadas é difícil e só é possível através de veículos de quatro rodas.

De acordo com o Ocha, o governo está a coordenar as operações de resposta, apoiado pela Cruz Vermelha no Quénia, pelo Fundo da ONU para a Infância, Unicef, e por ONGs no terreno.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud