Navi Pillay pede ao Irão que contenha excessos da polícia

30 dezembro 2009

Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos diz estar chocada com a recente violência no Irão que levou à morte de sete pessoas; informações disponíveis sugerem violência excessiva da polícia e dos paramilitares da milícia Basij.

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova Iorque *.

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, disse estar chocada com a recente violência no Irão, que provocou mortos, feridos e levou a prisões.

Em comunicado emitido nesta quarta-feira, Pillay pediu ao governo iraniano para conter os excessos das forças de segurança.

Violência

Ela afirmou que as circunstâncias exactas que levaram a pelo menos sete mortes durante e após a comemoração religiosa da Ashura, no último domingo, ainda não estão claras.

Segundo Navi Pillay as informações disponíveis sugerem violência excessiva da polícia e dos paramilitares da milícia Basij.

A alta comissária disse que o governo tem a obrigação de garantir que os abusos não se intensifiquem.

Detenções

Pillay também expressou preocupação sobre relatos permanentes de detenções de activistas políticos, jornalistas, defensores dos direitos humanos e representantes da sociedade civil.

Ela lembrou que as pessoas tem o direito de realizar protestos pacíficos sem serem espancadas e postas na prisão.

*Apresentação: Ana Ventura Miranda, Rádio ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud