Navi Pillay critica condenação de escritor chinês
BR

28 dezembro 2009

Pillay afirmou que a decisão da justiça chinesa é um desenvolvimento infeliz que lança uma sombra ameaçadora sobre os compromissos em proteger e promover os direitos humanos no país.

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York.

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, disse que a dura condenação de um importante escritor chinês marca uma restrição ainda mais severa sobre a liberdade de expressão na China.

Em comunicado recente Pillay afirmou que a decisão da justiça do país foi a última indicação de uma escalada de repressão sobre as atividades dos defensores dos direitos humanos.

Incitamento

Segundo a nota, Liu Xiaobo foi condenado a 11 anos de prisão por suspeita de incitamento à subversão do poder do Estado.

Navi Pillay disse que tem observado com interesse o crescente papel dos intelectuais, advogados e jornalistas na China nos últimos anos, mas casos como o do escritor colocam em risco esse momento.

A alta comissária informa que Liu Xiaobo foi condenado por assinar um documento com outros 300 intelectuais que pede reformas políticas e progressos dos direitos humanos.

Pillay afirmou que a decisão da justiça chinesa é um desenvolvimento infeliz que lança uma sombra ameaçadora sobre os compromissos em proteger e promover os direitos humanos na China.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud