Governo tailandês já iniciou deportação de Lao Hmongs, diz ONU

28 dezembro 2009

Agência da ONU para refugiados reforça pedido de interrupção de deportação da etnia Lao Hmong; Acnur apela a um processo de deportação transparente e afirma que ninguém com protecção válida pode ser forçado a retornar ao Laos.

[caption id="attachment_144023" align="alignleft" width="175" caption="António Guterres"]

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Alto Comissário da ONU para Refugiados, António Guterres, voltou a pedir nesta segunda-feira que o governo da Tailândia suspenda o regresso forçado de Lao Hmongs.

Segundo comunicado emitido por Guterres, alguns deportados tem necessidades de proteção internacional.

Processo de deportação

António Guterres informou que os tailandeses deram início à deportação do primeiro grupo num total de 4 mil pessoas, que pertencem à etnia Lao Hmong.

Ele afirmou que o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, não teve acesso aos refugiados e que outras 158 pessoas, que estão presas há 3 anos, devem ser enviadas de volta ao Laos nos próximos dias.

O Alto Comissário afirmou que o processo de deportação deve ser transparente e ninguém com protecção válida pode ser forçado a regressar ao Laos.

Pedido de Interrupção

Guterres emitiu nota na última quinta-feira apelando a que a Tailândia interrompa os planos de regresso forçado destes indivíduos.

Ele afirmou que a medida colocaria em risco a protecção dos Lao Hmongs e daria um exemplo internacional muito grave.

*Apresentação: Ana Ventura Miranda, da Rádio ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud