Ban aliviado com solução no caso da activista saraui

18 dezembro 2009

Aminatou Haidar esteve em greve de fome no aeroporto de Lanzarote, nas ilhas Canárias, durante 32 dias, após o Marrocos ter impedido sua entrada no Sara Ocidental, sua terra natal; ela já está em casa em Laayoune.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, disse estar profundamente aliviado com a notícia de que a activista saraui, Aminatou Haidar, já se encontra em casa, em Laayoune, no Sara Ocidental, após uma greve de fome de mais de um mês.

Num comunicado divulgado esta sexta-feira pelo seu porta-voz, Ban agradeceu os esforços de todas as partes envolvidas na procura de uma solução para o caso.

Impasse

Haidar esteve em greve de fome no aeroporto de Lanzarote, nas ilhas Canárias, durante 32 dias, após o Marrocos ter impedido a sua entrada no Sara Ocidental, sua terra natal. Segundo agências de notícias, a activista de 42 anos, viajou num pequeno avião privado após a conclusão de um acordo cujos detalhes não foram revelados.

O Secretário-Geral pediu várias vezes às partes para privilegiarem o lado humanitário da situação. No comunicado ele agradeceu as medidas tomadas pelo Marrocos para pôr fim ao impasse.

Ban também expressou a esperança de que a Frente Polisário e o governo marroquino cooperem com o seu enviado pessoal, Christopher Ross, para o recomeço, num futuro próximo, das negociações para a resolução da questão do Sara Ocidental.

Estatuto

O estatuto do território, uma antiga colónia espanhola, continua a ser alvo de disputa entre o Marrocos e a Frente Polisário.

Um conflito irrompeu entre os dois lados em 1976 logo após o fim da administração espanhola do território.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud