Efeitos do clima atingem economias da América Latina (Português Brasil)

16 dezembro 2009

Estudo da Cepal diz que atividades econômicas, como a agricultura e o turismo, são muito sensíveis às alterações climáticas; projeções para a região neste século indicam que deve haver um aumento gradual e persistente da temperatura média nesses países.

[caption id="attachment_173656" align="alignleft" width="175" caption="Foto: OMS"]

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York.

As mudanças climáticas tem relevância particular para os países da América Latina e do Caribe devido às características sócio-econômicas, institucionais e geográficas da região.

A conclusão está no mais recente estudo da Cepal divulgado nesta quarta-feira em Copenhague.

Sensibilidade

O relatório da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe analisa que a elevada sensibilidade aos efeitos do clima de atividades econômicas, como a agricultura e o turismo, ressaltam a necessidade de formulação de uma estratégia de desenvolvimento sustentável a longo prazo.

As projeções climáticas para a região neste século indicam que deve haver um aumento gradual e persistente da temperatura média nesses países entre 1ºC e 4ºC num cenário de baixas emissões, e entre 2ºC e 6ºC se houver grandes emissões de gases que provocam o efeito estufa.

Como consequência, há previsão de mais eventos climáticos extremos. As chuvas devem se intensificar, com alta de 20% na precipitação em países como Equador e Peru, leste da Amazônia e nordeste do Brasil.

Intervalo

O intervalo entre o período de chuvas deverá ser maior, com mais ondas de calor na América Central, aumento do nível do mar e noites com temperaturas mais frias em toda a América Latina, como disse à Rádio ONU, de Brasília, o chefe da Cepal no Brasil, Renato Baumann.

"Esse conjunto de coisas tem implicações para uma série de atividades. Não apenas em termos de tipos de cultivos possíveis nessas regiões, mas particularmente preocupante os problemas de saúde que possam vir associados a essa mudança. Uma ampliação de área de atuação de doenças tipicamente tropicais como malária e dengue", afirmou.

As alterações climáticas ainda irão provocar, segundo o relatório, pressões adicionais sobre recursos hídricos do Brasil, Argentina, Chile, Equador e Peru.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud