ONU quer solução urgente para impasse sobre activista saraui

10 dezembro 2009

Aminatou Haidar encontra-se em greve de fome no aeroporto de Lanzarote, nas Ilhas Canárias, desde o mês passado, após o Marrocos ter impedido a sua entrada no Sara Ocidental; Ban expressou preocupação pela rápida deterioração do seu estado de saúde.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, discutiu esta quinta-feira a situação da activista saraui, Aminatou Haidar, numa chamada telefónica com o ministro espanhol dos negócios estrangeiros, Miguel Morantinos.

Haidar encontra-se em greve de fome no aeroporto de Lanzarote, nas Ilhas Canárias, desde o mês passado, após o Marrocos ter impedido a sua entrada na sua terra natal, o Sara Ocidental.

Impasse

Ban expressou preocupação pela rápida deterioração do estado de saúde da activista e enfatizou a necessidade de uma solução ser encontrada com a máxima urgência.

Um comunicado do seu porta-voz nota que o Secretário-Geral propôs possíveis passos para a resolução do impasse. Ban Ki-moon reune-se na sexta-feira com o ministro dos negócios estrangeiros marroquino.

Na semana passada, o Alto Comissário da ONU para Refugiados, António Guterres, apelou às autoridades da Espanha e do Marrocos para considerarem quaisquer medidas conducentes à resolução do problema.

O estatuto de Sara Ocidental, uma antiga colónia espanhola, continua a ser alvo de disputa entre o Marrocos e a Frente Polisário.

Referendo

Um conflito irrompeu entre os dois lados em 1976 logo após o fim da administração espanhola do território.

As Nações Unidas têm uma missão na região, a Minurso, que tem o mandato de monitorar um cessar-fogo alcançado em 1991 e organizar um referendo sobre auto-determinação para o Sara Ocidental.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud