ONU pede maior vontade política no combate a corrupção no Afeganistão
BR

9 dezembro 2009

Enviado especial das Nações Unidas ao país, Kai Eide, disse que as estruturas e o sistema legal já existentes são capazes em larga escala de responderem a esse problema.

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York*.

O combate à corrupção no Afeganistão não está necessariamente ligado ao sucesso de novas estratégias, mas através da implementação de leis já existentes.

Foi o que afirmou nesta quarta-feira o enviado especial da ONU ao país, Kai Eide, em coletiva de imprensa em Cabul pelo Dia Internacional contra a Corrupção, celebrado neste 9 de dezembro.

Sistema Legal

Kai Eide aproveitou a ocasião para pedir maior vontade política do novo governo do presidente Hamid Karzai no combate ao suborno. Karzai deve nomear um novo gabinete no próximo sábado.

O enviado especial disse que as estruturas e o sistema legal são capazes em larga escala de responderem a esse problema no país.

Ele também ressaltou que a determinação política para fazer uso daquilo que já existe é o elemento mais importante em questão.

Passos Significativos

Segundo o chefe do Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime no Afeganistão, Jean-Luc Lemahieu, o país tem dado passos significativos mas uma quantidade enorme de trabalho precisa ser realizada.

De acordo com a Missão das Nações Unidas no Afeganistão, Unama, o presidente Karzai irá realizar uma conferência nacional anti-corrupção entre os dias 15 e 17 de dezembro. O evento deve reunir representantes da sociedade civil, governo, sistema judiciário e comunidade internacional.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud