Reunião de Cartagena coloca ênfase nas vítimas de minas (Português África)

4 dezembro 2009

Programa adoptado na cidade colômbiana compromete os países a expandirem serviços de saúde e sociais para os sobreviventes e promoverem o respeito dos seus direitos e dignidade; o objectivo é assegurar a sua participação plena na sociedade.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A 2ª reunião de revisão da Convenção sobre a Proibição de Minas Antipessoal adoptou um plano de acção de cinco anos para limpar zonas minadas, assistir as vítimas de acidentes e destruir todos os restantes engenhos explosivos.

O anúncio foi feito esta sexta-feira em Cartagena, na Colômbia, no final da conferência para Um Mundo Sem Minas.

Sobreviventes

O Comité Internacional da Cruz Vermelha descreveu o plano como um importante passo em frente, mas enfatizou que ainda há muito por fazer na área de desminagem.

O programa adoptado em Cartagena compromete os Estados a expandirem serviços de saúde e sociais para os sobreviventes e promoverem o respeito dos seus direitos e dignidade. O objectivo é assegurar a sua participação plena na sociedade.

A Cruz Vermelha assiste milhares de vítimas de acidentes de minas, fornecendo próteses e apoiando infraestruturas de reabilitação física em 25 países.

Falando na mesma reunião, o vice Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos, Kyung-wha Kang, pediu aos países para centrarem as suas acções particularmente nas vítimas em situações vulneráveis, como crianças, mulheres, indígenas e populações rurais.

Acidentes

Num relatório publicado em Novembro, a Campanha Internacional para a Proibição de Minas Terrestres disse que 44 milhões de engenhos explosivos foram destruidos nos últimos 10 anos.

O documento refere ainda que mais de 70 nações têm minas nos seus territórios e mais de 5 mil pessoas foram feridas em acidentes o ano passado.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud