Ban elogia impacto de convenção anti-minas

30 novembro 2009

Numa mensagem enviada à 2ª conferência de revisão da Convenção para a Proibição de Minas Anti-Pessoais, Ban Ki-moon disse que o tratado alcançou resultados extraordinários; ele afirmou, contudo, que ainda existe muito por fazer para acabar com o flagelo.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que o objectivo da humanidade para um mundo livre de minas é agora uma possibilidade real.

Numa mensagem enviada esta segunda-feira à 2ª conferência de revisão da Convenção para a Proibição de Minas Anti-Pessoais, em Cartagena, na Colômbia, Ban afirmou que o tratado alcançou resultados estraordinários.

Engenhos Explosivos

Ele indicou que já não existem registos de trocas comerciais de minas terrestres. Na mensagem, Ban realça que vastas áreas foram desactivadas para uso agrícola e que estradas são agora seguras para viajar.

Mas o Secretário-Geral sublinhou que ainda há muito por fazer. Ele disse que é preciso limpar mais terrenos e destruir os restantes engenhos explosivos.

Ban Ki-moon disse que a ONU necessita de mais fundos e pediu a todos os países membros para assinarem e implementarem a convenção.

Acidentes

No seu último relatório publicado este mês, a Campanha Internacional para a Proibição de Minas Terrestres disse que 44 milhões de engenhos explosivos foram destruidos nos últimos 10 anos.

O documento refere ainda que mais de 70 nações têm minas nos seus territórios e mais de 5 mil pessoas foram feridas em acidentes o ano passado.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud