Nações Unidas condenam xenofobia na África do Sul

20 novembro 2009

Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, condenou a mais recente vaga de ataques xenófobos na África do Sul. Cerca de 3 mil pessoas foram afectadas.

João Duarte, da Rádio ONU em Londres.

Em declarações emitidas a partir do Palácio das Nações em Genebra, o porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, afirma que cerca de 3 mil estrangeiros, incluindo refugiados e candidatos a asilo provenientes do Zimbabué, foram forçados a abandonarem as suas habitações devido à vaga de ataques xenófobos.

A agência da ONU adianta que os deslocados aguardam agora o desfecho de negociações com agricultores locais que atacaram as suas habitações na terça-feira passada. Os agricultores acusam os estrangeiros de roubarem os seus empregos aceitando ordenados mais baixos para trabalharem nos campos.

Abrigo

Os deslocados encontram-se agora num centro desportivo, estando abrigados em várias tendas comunitárias fornecidas pelo governo. O Acnur contribuiu igualmente com tendas mais pequenas para o abrigo de famílias.

A agência da ONU elogiou ainda a rápida resposta humanitária das autoridades locais assim como o facto de água, latrinas e uma clínica móvel de saúde terem sido disponibilizadas no espaço de poucas horas.

A delegação sul-africana da Cruz Vermelha está igualmente envolvida nos esforços, fornecendo duas refeições quentes por dia.

Ataque

Trata-se do primeiro ataque de natureza xenófoba dirigido contra refugiados e candidatos a asilo que tem lugar na África do Sul desde a vaga de violência que afectou o país em Maio de 2008.

No final desse ano, estimativas apontavam para a presença de 110 mil candidatos a asilo provenientes do Zimbabué na África do Sul.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud