Nações Unidas elogiam detenção de líderes rebeldes ruandeses

19 novembro 2009

Anúncio foi feito esta quinta feira pelo principal enviado da ONU para a República Democrática do Congo. Os dois detidos são suspeitos de terem levado a cabo crimes contra a Humanidade.

João Duarte, da Rádio ONU em Nova York.

O representante especial do Secretário-Geral da ONU para a República Democrática do Congo, Alan Doss, reagiu positivamente às notícias da detenção de dois indivíduos que se suspeita pertencerem ao movimento rebelde Hutu, Forças Democráticas de Libertação do Ruanda, FDLR.

Em declarações, Alan Doss adiantou que este desenvolvimento vai contribuir para a paz não só na República Democrática do Congo mas também na região.

Detidos

Os dois indíviduos, Ignace Murwanashyaka e Straton Musoni, foram detidos por forças alemãs, encontrando-se sob a custódia das autoridades.

Alan Doss, que dirige igualmente a missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo, Monuc, apelou a outros países onde se encontram forças do FDLR para seguirem o exemplo da Alemanha.

Apoio

Os praticamente 19 mil elementos da Monuc encontram-se na RD Congo desde 2000. A sua missão é apoiar as forças do governo na luta contra os rebeldes do FDLR que operam no leste do país desde o final do genocídio no vizinho Ruanda em 1994.

As detenções têm lugar no seguimento de resoluções do Conselho de Segurança apelando aos estados-membros para tomarem medidas contra todos aqueles que apoiam o FDLR.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud