Pirataria na Somália continua a ser ameaça

18 novembro 2009

Acções para conter a ameaça dos piratas ao largo da Somália não provocou a diminuição dos ataques; declarações efectuadas pelo representante das Nações Unidas para a Somália, Ahmedou Ould-Abdallah, esta quarta-feira no Conselho de Segurança da ONU.

[caption id="attachment_161226" align="alignleft" width="175" caption="Ahmedou Ould-Abdallah"]

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York*

Falando perante o Conselho de Segurança da ONU, o representante das Nações Unidas para a Somália, Ahmedou Ould-Abdallah, disse que a pirataria ao longo da costa da Somália é um sintoma de problemas maiores dentro do país.

A afirmação foi feita no Conselho de Segurança durante a discussão de um relatório do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, sobre este tema.

Expansão

Ould-Abdallah disse que a expansão da presença marítima desempenha um papel fundamental na estabilização da situação no mar, principalmente quanto à protecção de carregamentos de assistência humanitária do Programa Alimentar Mundial, PAM.

Ele sublinhou que a presença de navios e aviões militares para reprimir a pirataria e assaltos à mão armada, e para proteger as embarcações tem reduzido o número de incidentes na região.

De acordo com ele, lidar com a pirataria ao longo da costa da Somália pode ser parte de um plano que inclui, além de outras medidas, a construção de capacidade regional no país.

Ahmedou Ould-Abdallah afirmou que, apesar das recentes acções para conter a situação, o número de ataques levados a cabo por piratas ainda não diminuiu e as ameaças continuam.

*Apresentação: João Duarte, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud