Unesco celebra 20 anos da queda do Muro de Berlim
BR

9 novembro 2009

Irina Bokova, recém-eleita diretora-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, afirmou que outras "barreiras" ainda existem; destruição do Muro de Berlim, há duas décadas, conduziu à reunificação da Alemanha e simbolizou o fim da Guerra Fria.

Daniela Traldi, da Rádio ONU em Nova York*.

A recém-eleita diretora-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, Irina Bokova, alertou líderes mundiais sobre a complacência na busca por liberdade, direitos humanos e diversidade cultural.

A Alemanha e o mundo celebram os 20 anos da queda do Muro de Berlim nesta segunda-feira e, segundo Bokova, a batalha por esses valores universais ainda não terminou.

Muro

Irina Bokova disse que "a queda do muro foi um evento de imensa importância histórica para a paz mundial e para o avanço da democracia não só para a Europa Ocidental mas também para os outros países".

Ela advertiu, no entanto, que esse progresso indiscutível não pode ser generalizado, já que vivemos num mundo globalizado onde muitos outros "muros" ainda existem.

E a tarefa da Unesco, segundo a diretora-geral eleita do órgão, é quebrar essas barreiras onde quer que estejam e da forma que possam existir.

Risco

Irina Bokova afirmou ainda que a globalização carrega o risco da criação de um mundo mais uniforme, que corrói a diversidade e abre caminho para novos tipos de repressão, exclusão e pobreza.

A solução para superar essas ameaças é a continuação do diálogo e da troca entre líderes políticos e sociais, e de diferentes grupos religiosos e culturais.

Irina Bokova assume a direção-geral da Unesco no próximo dia 15 de novembro.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud