ONU aplaude reintegração de ex-soldados no Sudão

4 novembro 2009

Nações Unidas esperam que mais 180 mil ex-combatentes regressem às suas actividade normais, como previsto no Acordo Global de Paz de 2005, que pôs fim à guerra civil no país.

Pollyana de Moraes, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O enviado especial da ONU ao Sudão, Ashraf Qazi, saudou a desmobilização e a reintegração social de mais de 15 mil combatentes que lutaram na guerra civil do país.

A ONU espera que mais 180 mil ex-soldados voltem às suas actividades normais, como previsto no Acordo Global de Paz de 2005, que pôs fim ao conflito.

Esperança

Em encontro com parceiros da iniciativa nesta terça-feira, em Kugali, Qazi afirmou que o processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração, DDR, tem dado esperança aos combatentes e às suas comunidades em busca de paz e estabilidade.

Apesar disso, o representante de Ban Ki-moon lembrou que ainda é preciso apoiar a reintegração de crianças-soldado, principalmente após a diminuição das doações ao Fundo da ONU para a Infância, Unicef, no Sudão.

Durante o encontro, a Noruega anunciou uma doação adicional de cerca de US$ 5 milhões para apoiar adultos e crianças que lutaram no conflito.

Ashraf Qazi, que também é chefe da missão das Nações Unidas no Sudão, Unmis, disse que o retorno dos combatentes à sociedade é essencial para o sucesso das próximas eleições.

Referendo

Os sudaneses irão votar num referendo em 2011 para decidir se a região sul deverá continuar a fazer parte do Sudão ou tornar-se um país independente.

O Acordo Global de Paz pôs fim, em 2005, ao conflito de duas décadas entre o norte e o sul, que matou cerca de 2 milhões de pessoas e forçou 4,5 milhões a fugirem das suas casas.

*Apresentação: Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud