China sustenta recuperação da economia asiática
BR

4 novembro 2009

Previsão do Banco Mundial é de crescimento de quase 8,5% no PIB chinês em 2009 e de 6,7% em toda a Ásia Oriental e Pacífico; sem a China o crescimento previsto para a região seria de apenas 1% este ano.

Daniela Traldi, da Rádio ONU, em Nova York*.

A rápida recuperação econômica da Ásia Oriental e do Pacífico tem sido surpreendente, mas se a China não estivesse na mesma área o quadro seria bem diferente.

A conclusão é do Banco Mundial, que divulgou nesta terça-feira avaliação semestral sobre a região.

Reabastecimento

De acordo com o estudo, extensos e oportunos pacotes fiscais de estímulo tem contribuído para a retomada de países da Ásia Oriental e do Pacífico, liderados por China e Coréia.

Medidas como o atual reabastecimento dos estoques também tem ajudado no estreitamento da confiança na região.

Além disso, de acordo com o Banco Mundial, empresas asiáticas formais e informais se ajustaram para a queda na demanda, com impacto diferente em vários países. Algumas cortaram horas, eliminaram turnos, dispensaram trabalhadores temporários e abaixaram salários, ações que agora estão sendo revertidas.

China

Países que exportam bens duráveis, componentes eletrônicos e material bruto para a China tem sido os maiores beneficiários da forte retomada.

A previsão do Banco Mundial é de crescimento de quase 8,5% no Produto Interno Bruto chinês neste ano, e de 6,7% em toda a Ásia Oriental e Pacífico. Sem a China, o crescimento previsto seria de apenas 1% em 2009.

O cenário futuro é ainda melhor, com expectativa de alta de quase 8% no PIB da região em 2010.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud