A (H1N1) afeta adolescentes e jovens adultos
BR

30 outubro 2009

Análise da OMS sobre a doença no mundo afirma também que crianças e mulheres grávidas apresentam casos mais graves; vacina ainda não é recomendada para menores de 10 anos.

[caption id="attachment_169204" align="alignleft" width="175" caption="Foto: OMS"]

Pollyana de Moraes, da Rádio ONU em Nova York.

Adolescentes e jovens adultos continuam sendo os maiores afetados pela gripe A(H1N1), de acordo com a última atualização da Organização Mundial da Saúde, OMS, divulgada nesta sexta-feira.

Apesar disso, crianças e mulheres grávidas que contraíram o vírus apresentam quadros mais graves ou que exigem hospitalização.

Imunidade

A diretora de Súde Pública e Meio-Ambiente da OMS, Maria Neira, disse à Rádio ONU, de Genebra, na Suíça, que a incidência de nova gripe nesses grupos acontece por causa da baixa imunidade.

"Eles não tem a imunidade que pessoas de outra idade tem, talvez por já terem sido expostas ao vírus, ou por terem sido vacinadas, o que oferece a elas uma proteção. Já as mulheres grávidas tem mais sensibilidade, mais suscetibilidade de terem esse tipo de doença viral", afirmou.

A agência da ONU recomenda a imunização contra o H1N1 por meio de apenas uma dose da vacina, que deve ser aplicada em pessoas com mais de 10 anos.

A vacinação de crianças abaixo dessa faixa etária ainda está sendo estudada pelos laboratórios.

Registro de Casos

Apesar do inverno ainda não ter começado no hemisfério norte, países como Estados Unidos e Canadá registraram um aumento no número de casos da doença, o que não era esperado pelos especialistas para o mês de outubro.

O mesmo acontece no México. Desde setembro, mais pessoas foram contaminadas pelo H1N1 do que nos meses anteriores.

De acordo com a OMS, mais de 440 mil casos de gripe A(H1N1) foram registrados em todo o mundo e mais de 5,7 mil mortes.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud