ONU reforça ajuda a angolanos e congoleses expulsos

28 outubro 2009

Segundo o governo de Angola, cerca de 60 mil nacionais foram forçados a deixar o país vizinho nas últimas semanas; número de congoleses repatriados do território angolano desde Dezembro eleva-se a 160 mil.

Daniela Traldi, da Rádio ONU, em Nova Iorque *.

Agências das Nações Unidas vão enviar uma equipa de resposta de emergência e iniciar o transporte aéreo de tendas para ajudar milhares de angolanos expulsos da República Democrática do Congo.

Segundo o ministério dos Assuntos Sociais e Reintegração de Angola, o número de angolanos expulsos do país vizinho aumentou para 60 mil, ou seja, o dobro das estimativas anteriores.

Ajuda de Emergência

O número de congoleses repatriados de Angola diminuiu nas províncias de Kasai e Bandundu, mas permanece elevado no Baixo Congo. A ONU estima que cerca de 160 mil congoleses, metade dos quais mulheres e crianças, foram expulsos de Angola desde Dezembro.

O trabalho conjunto de ajuda aos angolanos e congoleses expulsos envolve várias agências da ONU. O Fundo das Nações Unidas para Infância, Unicef, está a providenciar equipamentos para tratamento de água, garrafas térmicas para bebés, sabonete e outros produtos de higiene.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, já forneceu kits de emergência para 10 mil pessoas que fugiram para a província do Zaire, e está a organizar junto com o Unicef uma campanha de vacinação contra tétano e sarampo.

Já a Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO, monitora a situação de famílias congolesas expulsas de Angola através de um projecto piloto de formação técnica em agricultura.

*Apresentação: Carlos Araújo, da Rádio ONU, em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud