Tribunal da ONU promove seminário para jovens no Ruanda

29 outubro 2009

O objectivo é informar e sensibilizar a juventude sobre o papel do Tribunal no processo de reconciliação no país; encontro também alerta contra a intolerância.

Pollyana de Moraes, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Tribunal Penal Internacional para o Ruanda termina esta quinta-feira um seminário para estudantes e professores dos distritos de Rulindo e Musanze, no norte do país.

O objectivo do evento, apoiado pela Comissão Europeia, é informar e sensibilizar a juventude ruandesa sobre o papel do tribunal no processo de reconciliação nacional, após os conflitos durante a década de 90.

Futuro

Na abertura do seminário, os presidentes das câmaras de Musanze, Celestin Karabayinga, e de Rulindo, Justus Kangwaje, agradeceram o tribunal da ONU por promover um encontro voltado para jovens que, segundo eles, são os futuros líderes do país.

Os dirigentes também pediram que os estudantes participem activamente na luta contra o genocídio. Eles também disseram que estão optimistas de que a nova geração contribuirá para o desenvolvimento de Ruanda.

Desde 2005, o tribunal organiza encontros em diferentes escolas do país para promover os direitos humanos e manter o alerta contra a intolerância entre os jovens.

Genocídio

O país da África Central ainda está a recuperar do massacre de 1994, quando 800 mil tutsis e hutus moderados foram assassinados em menos de 100 dias.

O Tribunal Penal Internacional para o Ruanda, com sede em Arusha, na Tanzânia, já indiciou 81 pessoas sob a acusação de genocídio e de crimes contra a humanidade.

*Apresentação: Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud