Nações Unidas pedem desmobilização do Hezbollah
BR

28 outubro 2009

Secretário-Geral da ONU convocou milícia libanesa a se transformar em pleno partido político; Ban também criticou invasão do espaço aéreo libanês pelos israelenses.

Daniela Traldi, da Rádio ONU, em Nova York.

Desmobilizar milícias no Líbano, especialmente o Hezbollah, é de importância vital para a democracia e soberania do país.

A afirmação foi feita pelo Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, em relatório divulgado nesta terça-feira.

Milícias

No documento, Ban Ki-moon diz que ‘as ameaças existentes por causa das milícias que estão fora de controle do Estado, principalmente a grande infraestrutura paramilitar do Hezbollah, não podem ser exageradas'.

O Secretário-Geral convocou os líderes do grupo a transformarem o Hezbollah num partido puramente político e repensarem seus esforços em adquirir ou transferir armas.

Ban também lembrou que o movimento islâmico tem aparecido em público para apoiar militantes palestinos com assistência militar.

Ban Ki-moon ressaltou ainda que Israel viola a soberania libanesa e as resoluções do Conselho de Segurança ao continuar com vôos sobre o espaço aéreo do Líbano, e que as condições precárias em campos de refugiados palestinos facilitam o fortalecimento de grupos radicais.

Positivo

O lado positivo, segundo o Secretário-Geral, foi o alto comparecimento às urnas nas recentes eleições parlamentares libanesas.

A abertura de relações diplomáticas entre Líbano e Síria também foi lembrada por Ban Ki-moon, com a presença de embaixadas nos dois países pela primeira vez desde a independência síria.

O relatório é o mais recente documento de implementação da Resolução 1559 do Conselho de Segurança, que pede eleições livres e justas, o fim da interferência estrangeira e a desmobilização de todas as milícias.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud