Ataque em Cabul mata cinco membros da ONU
BR

28 outubro 2009

Funcionários foram vítimas de um atentado do grupo Talebã; Nações Unidas garantem que a violência não vai impedir a continuidade do seu trabalho no país.

[caption id="attachment_167523" align="alignleft" width="175" caption="Kai Eide"]

Maria Cláudia Santos, da Rádio ONU em Nova York.

O enviado especial da ONU ao Afeganistão, Kai Eide, condenou duramente o ataque desta quarta-feira que matou cinco funcionários da organização na capital Cabul.

Eide garantiu que nenhum grupo insurgente vai conseguir paralisar o trabalho que a ONU está fazendo para garantir uma vida melhor para o povo afegão.

Profunda Tristeza

Segundo agências de notícias, homens armados e usando coletes com explosivos atacaram a pensão onde viviam os funcionários da ONU no centro da cidade.

Cerca de duas horas depois, foguetes foram lançados contra o principal hotel da capital afegã onde ficam hospedados diplomatas e jornalistas internacionais. Os dois atos foram reivindicados por talebãs.

Em comunicado, o representante da ONU lembrou que o dia é de profunda tristeza para as Nações Unidas no país. Ele manifestou condolências aos familiares e amigos das vítimas e lembrou que as mortes representam perdas para cada membro da organização.

Segurança

Eide disse ainda que a ONU tem servido o povo afegão há mais de meio século. Por isso, segundo ele, qualquer atentado não é apenas contra a organização, mas contra todo o povo que depende da ajuda dela.

Kai Eide declarou também que, depois do ato de violência desta quarta-feira, a segurança dos funcionários das Nações Unidas será revista no Afeganistão. No entanto, ele deixou bem claro que o atentado não vai impedir a continuidade do trabalho da ONU no território afegão.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud